“Assumir seus atos é um ato de coragem!” Por Acenildes Uliani/O mundo de Gigi!

Assumir o que se faz e se fala deveria ser normal tanto quanto respirar não é mesmo? Eu penso dessa forma, mas quando paramos e observamos mais atentamente ao mundo que nos rodeia, percebemos que parece que vivemos a “lei da selva”, salve –se quem puder!!

Vivemos numa sociedade na qual alguns ( eu diria muitos ) adultos são filmados agindo de modo errado e não assumem!Negam o óbvio! São pegos em flagrante e mentem descaradamente ! Tem as mais diversas desculpas esfarrapadas para tudo: Nunca erraram, não era bem isso, foi sem querer , eu não sabia e isso quando não apelam para a “saúde mental”, de repente o ato errado foi realizado num surto!Algo que um mero atestado de insanidade não salve-o de uma “fria”. Fim dos tempos isso!

Agora fico pensando, que mundo deixaremos para nossas crianças? Sim, se elas convivem com todas essas informações de violência sem punição, de errar e não assumir, de roubar e dizer que foi sem querer, entre tantos outros atos ilícitos. Como educar num mundo distorcido e com a inversão de valores que vivemos atualmente?Difícil missão temos Senhores pais! Ou ainda, transformo a pergunta para: “Que crianças deixaremos para nosso mundo?”

Digo e repito, somos exemplos o tempo todo!Se não mostrarmos o melhor caminho para chegar ao bem, nossas

crianças acharão que tudo é normal e serão adultos arrogantes e altivos, como já existem muitos por aí!

Pessoas que julgam-se acima do bem e do mal!Que não conseguem colocar-se no lugar do outro, ou ainda, aquelas que fazem de tudo pelo dinheiro e pelos bens materiais, “atropelando” quem estiver no seu caminho.

Antes que seja tarde, percebam os desvios de caminho do seu filho e ajude-o a retornar para a trilha do bem e do amor, antes que ele transforme-se num adulto! A dica é sempre corrigir com amor, conversar e dar o conforto para que perceba que todos erramos e poderemos assumir, se desculpar e começar novamente. Para isso é preciso assumir seus atos, mesmo que não estejam de acordo!

Assumir e ver os erros não é um momento prazeroso para ninguém, mas é necessário.Seu filho não comportou-se adequadamente no colégio? Nunca a “culpa” é apenas do outro, converse e observe. Trabalhemos a tolerância, porém o diálogo sempre deve existir, para que ocorra a reflexão e mudança de comportamento.

Certa vez, quando Gigi tinha uns 6 anos, uma amiguinha veio ao meu encontro e disse:

-Sabe Cê, a Gigi não quer conversar comigo e brincar junto!

Meu primeiro pensamento foi o de fazer ela desculpar-se e retomar a amizade, mas pensei rápido e perguntei à amiga:

-Mas qual o motivo dela não querer brincar com você?

-É que eu falei uma “coisa” que ela não gostou , mas eu já me desculpei!- justificou bem rápido e esperou minha atitude.

Pensei com meus “botões” o seguinte:

A amiga fala o que quer, magoa a Gigi , mas quer a desculpa imediata na hora de brincar.Então resolvi , sutilmente promover um diálogo entre elas. Disse para a amiga “ofendida” rs** que iria conversar e tentar resolver a situação.

Chamei a Gigi, que veio toda séria e com outras amigas.

-Gigi…verdade que você não quer brincar com ela?

-Não mãe, eu estou chateada, ela me magoou-respondeu tranquilamente para meu espanto.

A amiga rodeando perto, só esperando que Gigi obedecesse à mãe de imediato, ficou ouvindo o diálogo.

-Mas ela me disse que já se desculpou filha!-tentei trabalhar o perdão imediato.

-Mãe- continuou Gigi- eu não posso ainda desculpar ela, porque ainda “tô” magoada, daqui a pouco eu vejo, ela vai ter que esperar, agora eu não vou perdoar.

Depois dessa resposta e do olhar da amiga para mim, só me restou respeitar e esperar a tristeza sair do coração de Gigi . (demorou mais uns 5 min…rs***)

Pedi que amiga soubesse esperar e deixei que minha filha tivesse o seu tempo.A amiga assumiu, como ônus teve que esperar o perdão e assim é a vida!

Em outra época, Gigi mais velha, com uns 9 anos…rs** também errou ao brigar com um amigo , mas embora eu tenha ficado um tanto decepcionada com essa atitude dela, fiquei aliviada com a resposta sobre o ocorrido.

Sim, ela reconheceu que errou ao ir na “onda” e deixar o amigo triste, mas me disse que desculpou-se com ele, sentiu-se envergonhada do que fez e a melhor parte que achei foi o que ela me disse sobre os conselhos que teve…os demais “amigos” disseram para ela:

-Gi, diga que foi ele quem começou!

Gigi respondeu:

-Não, eu assumi a minha parte mãe, nem sei quem começou ao certo, fui junto sem perceber e assumi a minha parte…você acha que fiz certo mãe? Nunca mais vou estar no meio de algo errado.

Nem preciso responder o tamanho do meu sorriso e nem a minha resposta! Sim, ela prometeu o que cumpriu, reatou amizade com o amigo e pelo menos até hoje a ficha “tá limpa”!rs**

Reforcei e repito sempre para ela que a verdade é sempre a melhor opção, mesmo que seja algo errado.Eu vou ajudar a resolver, porém se não assumir, eu não confiarei mais!Assim acredito e assim procedo, porque sou exemplo para ela e outras crianças!

Assumir é um ato de coragem para todos! Sigamos o exemplo das crianças!

Beijos , Cê

modaestilo (3)

 

Deixe uma resposta