A celebração de Corpus Christi. Por Maria Inez Grimaldi / Terapeuta

Hoje se comemora o feriado de Corpus Christi pela igreja católica. Mas você sabe qual sua origem e significado?

Corpus Christi vem do Latim e significa Corpo de Cristo e celebra a Eucaristia. A Eucaristia por sua vez, é um ritual de comunhão e contato com a energia da sabedoria vinda de Deus, recebida pelo chakra da coroa. Esta energia nos traz o conhecimento, a sabedoria e representa o estudo da sabedoria divina.

A eucaristia por sí, nos mostra o caminho da união e o verdadeiro caminho para nos espiritualizarmos. Comungar é receber os ensinamentos para espiritualizar-se. É estar em comunhão com aqueles que buscam o caminho. É unir-se com os irmãos para falar de Deus e como podemos chegar mais perto Dele. Jesus fez isso na Santa Ceia. Reuniu seus amigos para falar de Deus.

Ao fazermos isso, ascendemos as energias dos chakras da coroa e da base. Este último ascende em forma de espiral para se unir ao chakra coronário e assim, trazer união de nossas energias e nos manter em contato com as energias mais elevadas.

Esta festa surgiu em Liége, na Bélgica no final do séc XIII. É uma festa sem data física, que celebra a real presença do Cristo na Eucaristia. Em alusão à 5ª feira, esta festa é celebrada após o domingo da Santa Trindade, que por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes.

Santa Juliana foi uma enviada por Deus para propiciar a realização desta festa. Ela nasceu em Retinne (Belgica) em 1193. Ficou órfã muito nova e foi educada por freiras em Monte Cornillon e chegou a ser madre superiora de sua comunidade. Venerava o Santissimo Sacramento e sempre desejou uma festa em sua honra.

Teve uma visão sobre a igreja, onde era representada pela lua cheia e uma mancha negra que simbolizava a ausencia dessa solenidade, e veio a comunicar estas visões ao então bispo e ao arquediacomo de Liége, que mais tarde se tornaria o Papa Urbano IV.

Em 1246, o Bispo ordenou que a celebração fosse realizada a partir do ano seguinte.

Em 1263, ocorreu o Milagre de Bolsena, onde um sacerdote que celebrava a missa teve dúvidas se a consagração da hóstia seria real. E no momento que partiu a hóstia, viu que dela saiu sangue que encharcou o corporal (tecido que apoia o cálice e a patena durante a missa). Em 1264, estas relíquias foram levadas ao papa Urbano IV em Orvieto, onde estão até hoje.

O papa então ordenou que a festa fosse celebrada por todas as igrejas, outorgando indulgências a quem assistisse as missas.

O papa outorgou a São Tomás de Aquino e a São BoaVentura que escrevessem um oficio que se tornaria a liturgia para a tal ocasião. São BoaVentura achou o texto de São Tomás tão bom, que acabou rasgando o seu em pedaços para não concorrer com o do amigo. Esta liturgia é a mesma até os dias de hoje.

Em 1317, o papa João XXII estendeu a festa a todas as igrejas pelo mundo.

Com esta festa os cristãos manifestam a veneração, reverência e a gratidão sobre a morte e a ressurreição de Cristo.

Até a próxima semana!

modaestilo-8

Deixe aqui seu comentário!