Como esta sua auto estima? Por Maria Inez Grimaldi / Terapeuta

“A auto-estima é a confiança em nossa capacidade de pensar
e enfrentar os desafios da vida”

“É a confiança em nosso direito de ser feliz, sensação de que temos valor,
somos merecedores, temos direito de expressar nossas necessidades e desejos e desfrutar os resultados de nossos esforços”. (Nataniel Brandes)

“É o julgamento pessoal de valor que se expressa nas atitudes e nos comportamentos que a pessoa mantém em relação a si e aos outros”

Pense sobre esse paradigma:
Autoestima = O quanto gostamos de nós mesmos
O quanto gostamos de nós mesmos = Nível de auto-domínio

O quanto você possui de auto-domínio? Se considera uma pessoa equilibrada? 95% das pessoas que respondem a estas simples perguntas, respondem “não”. E possuem consciência sobre isso, porém não possuem a dimensão de seu significado em relação às energias que estão envolvidas.

O lado bom da Auto-Estima:
  • Fortalece
  • Dá-nos energia
  • É chave de motivação
  • Sua essência compromete nossa capacidade
  • Dependemos de seu uso apropriado para sobreviver e dominar o meio que vivemos
  • Interfere no grau de consciência de cada um e do mundo em que vivemos

Consequências da baixa Auto-Estima

  • Incapacidade de tomar decisões (quanto menos maturidade, mais influenciáveis somos)
  • Gera co-dependencia de pessoas (física/emocional)
  • Negação da existência dos próprios valores
  • Desrespeito à individualidade
  • Perda da capacidade de liberdade dos vínculos que nos prendem
  • Dificuldade em se libertar da dependência familiar, no trabalho e comunidade
  • Dificuldade em tomar decisões que envolvem liberdade

Bloqueios à Auto-Estima

  • Noção de ser incapaz
  • Sentimento de ser ridicularizado, humilhado
  • Ausencia de pensamentos e sentimentos valorizados
  • Ser controlado pela vergonha e/ou culpa
  • Sentir-se ameaçado física e/ou psicologicamente
  • Superproteção

Motivo que nos leva a baixa Auto-Estima: Viver sem regras ou com regras confusas (A Auto-Estima influencia diretamente na nossa capacidade de tomar decisões.)

Veja se você se identifica com algumas situações de baixa auto-estima:

  • Você pensa excessivamente sobre si mesmo, e analisa porque razão você é do jeito que é.
  • Você tem medo da adversidade, o que lhe provoca uma enorme angustia. Você pode ser alienado em relação ou em oposição  aos seus pais, cuidadores e figuras de autoridade em geral.
  • Você não sorri facilmente. Você pode ter uma visão negativa, desesperançada de si mesmo, da sua família e sociedade.
  • Você sente-se muito cansado. Você pode estar relutante ou incapazes de definir e alcançar os seus objetivos.
  • Você fica com você mesmo. Você prefere ficar sozinho do que conhecer novas pessoas e estar com os outros.
  • Você afasta as pessoas. Você tem dificuldade em fazer e manter amigos.
  • Você evita olhar nos olhos dos outros. Você tem dificuldade com a confiança verdadeira , intimidade e afeto.
  • Você recusa-se a assumir riscos. Você sente-se carente e pode ter uma tendência a apegar-se à falsa independência.
  • Você pode criar efeitos e situações negativas. E em casos extremos, pode ser anti-social e talvez violento.
  • Coisas que outros não podem observar incluem: Você fala para si mesmo de forma negativa, você não diz a verdade  e/ou nem mantém a sua palavra, você não perdoa a si mesmo ou aos outros. Você pode não ter empatia, compaixão e remorso.
  • E por fim, o excesso de cuidados físicos e estéticos é um fator comum nos dias de hoje. Cuidar do corpo é um ato de amor próprio, afinal, nosso corpo é a casa de nossa alma. Mas quando estes cuidados se tornam excessivos, e em muitas vezes desfigurantes, acende-se uma luz de alerta para que seja tomado muito cuidado com o que estamos fazendo com a morada de nossa alma.

Aumentar a auto-estima implica algumas mudanças de comportamento. O comportamento vai mudando com a prática e a intenção. A auto-estima é uma realização, um processo que energiza e lhe dá motivação. Não é algo que nós temos, mas  desenvolve-se com a experiência das coisas que fazemos. A auto-estima é a experiência de ser capaz de enfrentar os desafios e promover a felicidade.

Trabalhando a Auto-estima
Quando fazemos algo bem, independentemente de quão pequena a tarefa seja, vamos construir energia positiva e a dinâmica necessária, que tendencialmente  poderá alimentar e energizar outras tarefas da nossa lista. Por exemplo, se você tiver acabado de lavar todos os pratos, arrumado sua casa e ajudado os filhos a fazer os trabalhos de casa, será mais fácil para você, psicologicamente, transitar rapidamente para outra situação ou assunto e completar a tarefa seguinte. Você terá construído o impulso necessário para terminar as coisas. Isto acontece porque você está cheio de energia, a qual utiliza na tarefa seguinte, impulsionado pelo sucesso gerado na execução da tarefa anterior. Por outro lado, quando adiamos o que queremos fazer ou sabemos que devemos fazer, perdemos a força, e o mais grave de tudo é que perdemos a confiança em nós mesmos.

 

A importância da Auto-Estima

A auto-estima é algo extremamente importante para que consigamos nos elevar na luz, porque só conseguimos nos elevar se reconhecermos a nossa filiação divina. O reconhecimento desta filiação, considerando que devemos “amar a Deus acima de tudo”, nos permite amar a nossa essência, e saber o quanto somos importantes para a nossa evolução e para a evolução de nossos irmãos que precisam de ajuda. Somente reconhecendo que Deus está em nós e, que podemos deixar este Deus atuar através de nós, poderemos manter o senso de autoestima elevado, o que nos levará a uma elevação de consciência e à uma confiança em nosso poder divino pessoal, e assim, realmente colocar este Deus interior para atuar através de nós em prol do nosso próximo.

 

Deixe suas dúvidas. Ela pode virar um próximo post e beneficiar outras pessoas que assim como você, querem saber mais!!

Boa semana a todos e até a próxima!!

modaestilo-8

 

Deixe aqui seu comentário!