O desenho da criança: você sabia que o desenho evolui junto com a escrita?Por Juliana Filleti S. Mellega/ Psicopedagoga Clínica

A criança faz um desenho e pergunta: “Pai… mãe, gostaram do meu desenho?” Os pais, muitas vezes, com o intuito de mostrar a realidade, falam das cores, das formas (um cavalo azul e com asas, por exemplo), realçando conceitos que, por acreditarem na forma como foram ensinados, as intervenções realistas serão sempre necessárias.

Apesar da boa intenção, passamos a inibir as produções de nossas crianças, pois, ao representar o mundo da forma como consegue se expressar, a criança passará por um processo de aprendizagem, da mesma forma que acontece com a escrita. Para ser alfabetizada, primeiramente, a criança conhece as letras, seus sons e após ter se apropriado do alfabeto, começa a produzir as palavras, frases e textos. Você sabia que o desenho evolui junto com a escrita?

Quando pequenas, as crianças fazem “rabiscos” e nos mostram as suas ideias. Ao perceber que são “apenas rabiscos”, devemos pedir que elas nos contem sobre seus desenhos ao invés de “adivinharmos” e criticarmos sua criatividade e consequentemente a falta de relação com a realidade.

Com os estímulos, as crianças passam a dar forma para seus “rabiscos” e, assim, as figuras tomam seus significados. Aprender a desenhar parece algo simples, mas a evolução cognitiva se faz necessária para que isso aconteça. Na clínica, sempre utilizamos o desenho como parâmetro de desenvolvimento, aliás, existem muitos livros relacionados ao tema. Por este motivo, devemos observar os desenhos das crianças com muita atenção. Uma criança que, por exemplo, aos 6 anos não consegue fazer desenhos de figuras simples, como pessoas, árvores, casinhas, sol e nuvens, talvez apresente dificuldades para se alfabetizar. Na dúvida, procure um profissional da Psicopedagogia para obter as orientações a respeito do assunto.

Até a próxima! Curtam cada fase dos pequenos!

Psicopedagoga Clínica

modaestilo

 

 

Deixe uma resposta