“A adaptação escolar acabou? Não, ainda não! Por Acenildes Uliani / “O mundo de Gigi!”

 

Quando se trata de adaptação escolar, temos um longo caminho a ser percorrido, pois envolve a parceria e interação da família com a escola escolhida. É muito importante conhecer as regras e a rotina de onde deixaremos nossos filhos por um período do dia, para que aprendamos a confiar e passar esta segurança às crianças.

Muitas vezes, as crianças ficam maravilhosamente bem nos primeiros dias de aula porque tudo é novidade! Mas…com o passar do tempo, começam a “inventar” desculpas e diversos motivos para faltar a aula. Isso é normal, afinal com o passar dos dias, as regras vão aumentando e as responsabilidades também. Mas sempre devemos pensar no que a criança está sentindo e, o que fazer para ajudá-la a compreender as prioridades da vida e que a vida escolar é uma delas!?

Não há negociação neste sentido, há sim reflexões a serem feitas para que ela consiga nomear os seus sentimentos, amenizá-los para seguir ir frente.

Há cerca de um ano atrás, eu li um texto da psicóloga Sally Neuberger e havia uma dica muito interessante nele! Ela dizia que temos que fazer a criança sentir-se respeitada e valorizar o que estão sentindo naquele momento e sendo assim, uma criança a partir dos 5 anos de idade precisa de ajuda para refletir e encontrar a resposta sobre o que está acontecendo com ela e isso a ajudará na solução da questão de forma mais clara, seja no fato de começar a birra para ia à escola, seja porque a roda do carrinho ou o braço da boneca saiu do lugar, seja porque não quer fazer a lição ou a lição não tenha saído do jeito que ela queria ou ainda por muitos outros motivos, os quais , naquele momento, são importantes para a criança. A dica da psicóloga era bem simples!Atentem-se à ela:

“Olhe bem nos olhos da criança, com bastante calma e pergunte: – Isto é um problema grande, um problema médio ou um problema pequeno?”

E a partir da resposta, ensine à ela que darão um jeito de resolver juntas, você estará ao lado para ajudá-la sempre!

Lembre-se de explicar que o problema pequeno sempre é rápido e tranqüilo de resolver; o problema médio, será resolvido também, mas não imediatamente! Dessa forma, ela aprenderá que certas situações demoram para acontecer e ter resultados, como por exemplo, ir à escola e ter que entrar na classe por um período do dia. Irá dessa forma, acostumar-se em vários dias que é preciso ir e não é fugindo e nem recusando-se !

E se o problema for grave, na cabeça da criança, mesmo que para nós (adultos) pareça “bobo”, a conversa precise ser mais longa e nem tudo na vida sai exatamente como a gente quer.

Com minha filha Giovana, a Gigi, também passei por alguns momentos assim! Choro, manha,charminho, vergonha também em muitos deles, porque o “chilique” surge e aparece em diferentes momentos e surgiu também no momento de ir à escola, e ficar por um período com outra pessoa que…”Não é a mamãe!”(Como já dizia o Baby da família de um antigo e famoso seriado dos Dinossauros!). Não é fácil! Nem para mim, nem para ninguém! São tantas novidades na escola, no mundo! São tantas sensações diferentes! Temos que ajudar nossas crianças!

Gigi, certa vez, também próximo do horário de ir para escola, me disse assim:

-Mãeeee??

-O que foi filha??

Ela apontou para a barriga e disse:

– Tem um gelinho “bem grande” aqui dentro!

Confesso para vocês que tive que me fazer de forte, porque na mesma hora senti um iceberg na minha barriga! (seria osmose?rs**). Mas demos um abraço e eu respondi:

– Calma, gelo derrete! Vai passar!

-Continuamos a organizar nossos materiais e fomos! Acreditem…o gelo na barriga era real para nós duas!

E sabem que o gelo derreteu quando juntas chegamos à escola? Prossiga! A adaptação será mais suave se nos unirmos! Escola e família! Família e escola! Uma dupla de sucesso sempre!

OBS : Aprender por osmose é uma expressão comumente usada por estudantes, em uma linguagem coloquial, relacionada aos estudos e em como adquirir conhecimento. Os alunos, quando não sabem ou não entendem uma matéria, dizem que gostariam de aprender por osmose, isto é, sem precisar estudar e sem gastar muita energia.

Super beijo! Volto logo!

modaestilo (3)

8 comentários em ““A adaptação escolar acabou? Não, ainda não! Por Acenildes Uliani / “O mundo de Gigi!”

  1. Adorei. Estou passando por isso com meu pequeno, todos os dias táticas e conversas para ele se sentir confiante e seguro. Afinal do dia ao chegar para pega-lo recebo sempre com um lindo sorriso . Sinal que está bem .😊

Deixe uma resposta para Maria Cleusa Gatti Braga Cancelar resposta